Índice de Turnover em uma instituição de nível superior privada

  • Ana Carolina Perroni Universidade Católica Dom Bosco
  • Eduardo Pinheiro de Souza Matra&Master
Palabras clave: psicologia organizacional, gestão de pessoas, rotatividade, desligamento voluntário, desligamento involuntário

Resumen

O Turnover é recorrente entre as organizações e existe um esforço em buscar soluções para lidar com esse indicador e propor estratégias que contribuam com o proceso organizacional. Há diferentes modelos de análise desse índice, considerando características dos desligamentos, separadas por categorias, voluntário e involuntário. Nos dados analisados nesta pesquisa, identificou-se maior incidência de desligamento voluntário. Considerou que os motivos para o desligamento são anteriores ao mesmo, tais como questões pessoais e/ou ambientais. Os autores sugerem que há uma necessidade de rodízio, saudável para a organização. Quando índice é elevado, o impacto pode ser negativo ao desenvolvimento organizacional. Quando o índice é baixo, pode representar estagnação e haverá prejuízo igualmente.

Abstract

Employee turnover is common among organizations and there is an effort to find solutions to deal with this indicator and to propose strategies that contribute to the organizational process. There are different models of analysis of these indices, considering characteristics of resignation, sorted by categories, such as voluntary and involuntary. At the data analyzed by this study, we identified a higher incidence of voluntary dismissal. We considered that the reasons for the resignation are prior, such as personal and/or environmental issues. Other authors suggest that there is a needy for rotation, wich is healthy for the organization. When these indices are high, the impact may be negative for organizational development. When these indices are low, may represent stagnation and there will be damage also.

Resumen

El Turnover es recurrente entre las organizaciones y existe un esfuerzo para buscar soluciones y proponer estrategias que contribuyan positivamente al proceso organizacional. Hay diferentes modelos de análisis de ese índice, considerando las características de la movilidad, separadas por categorias, voluntaria e involuntaria. En los datos analizados en este trabajo, se identificó uma mayor incidencia de salida voluntaria de la organización. Consideró que los motivos para la salida son anteriores a la misma, tales como cuestiones personales y/o ambientales. Los autores sugieren que s necesario que haya una rotación, es saludable para la organización. Cuando el índice es elevado, el impacto puede ser negativo para el desarrollo organizacional. Cuando el índice es bajo, puede representar estancamiento y habrá perjuicio igualmente.

Biografía del autor/a

Ana Carolina Perroni, Universidade Católica Dom Bosco

Psicóloga formada pela UCDB, especialista em Psicologia Organizacional e do Trabalho pela UCDB, especialista em Dinâmica dos Grupos pela Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos, Especialista em Psicologia Organizacional e do Trabalho pelo Conselho Federal de Psicologia, Mestranda em Psicologia pela UCDB, mais de 10 anos de experiência em Psicologia Organizacional e do Trabalho. Atualmente Coordenadora de Desenvolvimento Humano e Institucional da UCDB.

Eduardo Pinheiro de Souza, Matra&Master

Mestre em Administração de Empresas pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP (2008). Possui graduação em Engenharia Química pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (1997) e especialização em administração financeira pelo MBA Finanças do Ibmec São Paulo. Tem experiência nas áreas de Gestão Estratégica de Negócios, Gestão de Competências e Carreira, Consultoria de Recursos Humanos, Serviços de Educação Superior, Controladoria e Logística. : Atualmente Diretor Administrativo e de Negócios do Grupo Matra&Master (MS).

70 vistas
Publicado
2018-12-09
Cómo citar
Perroni, A. C., & Pinheiro de Souza, E. (2018). Índice de Turnover em uma instituição de nível superior privada. Revista Sul-Americana De Psicologia, 4(1), 120-139. Recuperado a partir de http://ediciones.ucsh.cl/ojs/index.php/RSAP/article/view/1777