Pensar e agir em cena com adolescentes em escolas públicas

  • Elen Alves dos Santos Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos / Universidade de Brasília - Brasília- DF/Brasil
  • Lúcia Zabotto Pulino Universidade de Brasília

Resumen

Esse artigo apresenta um relato de experiência profissional. Primeiramente, propõe uma articulação teórica entre adolescência, ressentimento e subjetivação política. Segue-se o relato de uma estratégia de intervenção nomeada “pensar e agir em cena” realizada com adolescentes no ambiente escolar, com o objetivo de criar um espaço/tempo de promoção de subjetivação política.  Os resultados da experiência permitem que se acompanhe e análise o processo de subjetivação política e acendem a necessidade de novas intervenções nas escolas públicas que permitam a construção de espaços que promovam a subjetivação política de adolescentes. Conclui-se que atividades como essas são fundamentais para o adolescente ter um espaço de fala e de deslocamentos subjetivos para que se construam proposições coletivas.

Biografía del autor/a

Elen Alves dos Santos, Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos / Universidade de Brasília - Brasília- DF/Brasil

Psicóloga

Mestre em Educação

Doutoranda em Psicologia (PGPDS) pela Universidade de Brasília. Docente no Ensino Superior UNICEPLAC - Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos

Lúcia Zabotto Pulino, Universidade de Brasília

Psicóloga (USP)

Doutora em Filosofia (UNICAMP)

Pós-doutorado (Université PARIS 8)

Professora Adjunta no Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília. Brasília-DF/Brasil

Publicado
2019-07-29